A coleção River of January

Comecei a trabalhar na coleção River of January em 2009. A série retrata a vida e os costumes do Rio de Janeiro nos últimos 200 anos, através dos olhos dos seus grandes escritores.

Apresentados em versões bilíngues, com textos paralelos, os livros propõem superar a barreira representada pela língua portuguesa, permitindo aos leitores internacionais uma visão da grandeza da literatura aqui produzida. Através das detalhadas notas, revela também a turbulenta história (virtualmente desconhecida no exterior) daquela que é, sem duvida, uma das mais fascinantes cidades na face da terra.

Ao mesmo tempo, a série oferece uma reapresentação desses clássicos para uma nova geração de leitores brasileiros. Os aspectos passíveis de dificultar a leitura são esclarecidos em notas, e os textos nas duas línguas permitem uma experiência interativa.

Selecionar e traduzir os livros que compõem esta coleção tem sido ao mesmo tempo um grande privilegio e um imenso desafio.

Nas minhas pesquisas, além das obras que melhor retratassem a vida na cidade em todos os seus aspectos durante os últimos 200 anos (o Reino Unido, o 1º Império, a Regência, o 2º Império, a República Velha, a Era Vargas, os Anos Militares e a Nova República), tenho procurado obras que refletissem toda a diversidade das formas literárias aqui produzidas (romances, contos, poesia, dramaturgia e crônicas) sempre escritas por autores de grande talento e originalidade.

Após um mergulho profundo e altamente enriquecedor na literatura carioca, me resta pouca dúvida de que os romances que melhor retratam a cidade de Rio de Janeiro em si são três: Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida; A Alma Encantadora das Ruas de João do Rio e Vida e Morte de M J Gonzaga de Sá – este último um verdadeiro canto de amor à cidade – de Lima Barreto. Destes três, apenas o último não está incluído entre os quatros volumes já publicados devido a considerações por parte da equipe de produção, que achou a obra curta demais.

Durante o trabalho, a decisão de elaborar notas de todas as referências me levou a um verdadeiro mergulho na historia do Brasil. Nas obras de ficção é essencial que o leitor entenda o contexto histórico que constitui o pano de fundo da narração. Nas obras de não-ficção a elucidação das referências se torna mais importante ainda; as crônicas de João do Rio, por exemplo, foram direcionadas a um publico que conhecia a cidade e seus acontecimentos recentes tão intimamente quanto o escritor.

Além de, para assim dizer, tirar esses obstáculos do caminho, o leitor, acompanhando as notas através dos livros da coleção, poderá adquirir um conhecimento abrangente da historia do Rio de Janeiro, e de certa forma do país desde a chegada da Corte, além dos fascinantes personagens que a povoaram.

No período que antecede os grandes eventos que a cidade sediará, o mundo inteiro está focado no Rio de Janeiro. E neste momento a coleção River of January pretende mostrar a grandeza do passado da cidade e da sua cultura: a cidade que produziu grandes gênios de literatura, tais como, entre muitos outros, Machado de Assis, Nelson Rodrigues e Carlos Drummond de Andrade.